3 de abr de 2018

Goiabada em barra e goiabada cascão



Goiabada em barra e goiabada cascão 1

                Ainda aproveitando a safra de goiabas, incluindo ai a minha goiabeira que deu muitos frutos este ano, preparei mais 2 doces, o mais simples e a goiabada cascão.
                Doces de todos os tipos fizeram parte da minha infância.
                Mariolas, doces em barra de todos os tipos, com a casquinha mais crocante ou macia, enfim, tanto os industrializados, quanto os feito em casa fizeram a nossa festa por anos.
                Refazer estes doces trazem doces lembranças a todos nós e o sabor de um doce caseiro é inigualável. Principalmente quando é temperado com o carinho de quem faz.
                Outra vantagem de se fazer em casa é que podemos fazer uma quantidade reduzida, só para matar a saudades dos bons tempos que não voltam mais.
                Para ver outras receitas de doces, compotas e genéricos acesse o Índice 3.


Goiabada em barra e goiabada cascão 2

                Goiabada em barra:

                - 1 kg de goiabas vermelhas;
                - ± 1 kg de açúcar;
                - 3/4 xícara (das de chá) de água.

                Lave muito bem as goiabas e deixe-as de molho em uma solução de água e bicarbonato, na proporção de 1 litro de água para cada colher, das de sopa, de bicarbonato.
                Deixe a solução agir por 10 minutos e lave novamente em água corrente.
                Pique as goiabas e bata no liquidificador com parte da água.
                Quanto mais maduras as goiabas estiverem, menos água será preciso e, consequentemente, menos açúcar.

Goiabada em barra e goiabada cascão 3

                Passe a polpa por uma peneira e meça a quantidade de polpa obtida.
                Para cada medida de polpa, acrescente a mesma medida de açúcar.
                Coloque a polpa e o açúcar em um panelão e leve ao fogo., mexendo de vez em quando.
                Quando começar a aparecer o fundo da panela (veja a primeira imagem da foto abaixo), comece a mexer sem parar porque o doce pode começar a grudar no fundo da panela e vai queimar. Mexendo sem parar não há esse risco.
                Continue mexendo até que consiga juntar todo o doce em um bloco, expondo o fundo da panela.
                Para conferir se está no ponto, pegue uma porção do doce e coloque em um pires.

Goiabada em barra e goiabada cascão 4

                Vire o pires imediatamente, ao contrário do doce cremoso que precisa ser resfriado.
                Note que mesmo virando o pires com o doce quente, ele não sai do lugar e o doce na panela também não tornou a cobrir o fundo.
                Se o resultado foi esse, o doce está no ponto.
                Se o doce escorrer e se o doce da panela tornar a cobrir o fundo, o doce está no ponto cremoso e não vai virar uma barra quando esfriar. Deixe mais um tempo no fogo, mexendo sempre.
                Se já estiver no ponto, passe o doce para um pote, deixe esfriar, tampe e guarde em um armário ou na geladeira, por pelo menos 12 horas antes de desenformar.
                Eu não forrei este pote com filme plástico porque fiz uma barra fina e costumo guardar no pote mesmo. Mas para desenformar o ideal é forrar com filme plástico, que vai facilitar muito o desenforme do doce (veja na receita abaixo).



Goiabada em barra e goiabada cascão 5

                Goiabada cascão

                - 2 kg de goiabas vermelhas;
                - 1 a 1 1/2 de açúcar;
                - 3/4 xícara (das de chá) de água.

                Lave muito bem as goiabas, em água corrente, e deixe de molho em uma solução de água e bicarbonato de sódio. Para cada litro de água junte 1 colher, das de sopa, de bicarbonato.
                Coloque um peso em cima das goiabas para que todas fiquem mergulhadas na solução.
                Deixe por 10 minutos e lave novamente em água corrente.

Goiabada em barra e goiabada cascão 6

                Retire as partes mais duras das goiabas, onde ficava o cabinho e as pétalas, e possíveis partes machucadas.
                Separe entre 40% e 60% das goiabas, de preferência as menos maduras. Eu separei cerca de 50%.
                Pique as goiabas restantes e reserve.
                Corte ao meio as goiabas menos maduras e retire toda a polpa, com uma colher, colocando a polpa junto com as goiabas picadas.
                Corte as goiabas das quais você retirou a polpa em pedaços médios, reservando também. Deixe-as com a casca. Aliás, não é preciso descascar nem estas, nem as que serão batidas no liquidificador.
                Bata as goiabas mais maduras junto com a polpa das outras no liquidificador, com pouquíssima água. Quanto mais maduras as goiabas, menos água será preciso.
                E quanto menos água e mais polpa concentrada, menos açúcar você vai precisar, deixando o doce mais saboroso.
                Passe a polpa por uma peneira para remover as sementes.

Goiabada em barra e goiabada cascão 7

                Meça a quantidade de polpa obtida e coloque a mesma medida de açúcar.
                Eu obtive 1 200 ml de polpa e juntei 1 200 g de açúcar.
                Coloque a polpa e o açúcar em uma panela e leve ao fogo, mexendo de vez em quando.
                Quando o doce encorpar, comece a mexer com mais frequência para que não grude na panela, queimando. O açúcar queima fácil.
                Quando o doce chegar em ponto de doce cremoso (veja aqui), desligue o fogo e forre um pote com filme plástico.
                Quando fiz o doce comum, não forrei o pote porque costumo deixar meus doces nos potes. Mas para desenformar, o filme plástico ajuda muito.
                Coloque as goiabas reservadas na panela e religue o fogo.
                Continue mexendo sempre, a partir de agora, e se quiser fazer o doce cremoso cascão, depois de 10 minutos desligue o fogo e passe para um pote sem filme plástico.
           
Goiabada em barra e goiabada cascão 8

                Se quiser fazer a goiabada cascão tradicional, continue a cozinhar a massa até que ela desprenda do fundo da panela, formando um bloco de massa.
                Para testar o ponto, retire uma porção da massa e coloque em um pires.
                Vire o pires a 90º. Se o doce permanecer na mesma posição, sem escorregar ou se mover, o doce está no ponto.
                Note que o doce da panela também não se moveu, cobrindo o fundo da panela, mesmo enquanto eu tirava as fotos.
                Passe o doce para o pote forrado com filme plástico.

Goiabada em barra e goiabada cascão 9

                Aguarde pelo menos 12 horas antes de desenformar o doce.
Para ver outras receitas de doces, compotas e genéricos acesse o Índice 3.





Print Friendly and PDF





Doe amor, doe VIDA! Doe medula óssea!
Clique na imagem abaixo e descubra onde:

Hemocentros


Nenhum comentário:

Sua opinião sobre o nosso espaço é muito importante.
Por isso sinta-se à vontade para registrá-la. Ou use esse espaço para tirar dúvidas ou deixar sugestões.
Seja sempre bem-vindo(a).